Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título/Title/Titulo

IMUNOMODULAÇÃO COM PLASMA RICO EM PLAQUETAS COMBINADO AO BACILLUS CALMETTE-GUÉRIN PARA O TRATAMENTO DO CÂNCER DE BEXIGA NÃO-MÚSCULO INVASIVO

Introdução/Introduction/Introdución

Introdução: O Plasma Rico em Plaquetas (PRP) é um lisado plaquetário que libera fatores de crescimento capazes de regenerar tecidos e modular a resposta imune através da via de sinalização dos receptores Toll-Like (TLR) 2 e 4. O câncer de bexiga urinária é a doença maligna mais comum do trato urinário, sendo que atualmente a terapia padrão ouro do câncer de bexiga urinária não-músculo invasivo (CBNMI) é a imunoterapia intravesical com BCG (Bacillus Calmette-Guerin) após ressecção transuretral do tumor. Contudo, a vacina BCG apresenta reações adversas de intensidades variadas, desde sintomas irritativos leves até reação sistêmica grave, o que contribui para a interrupção do tratamento e/ou recorrência de tumor de até 30%.

Objetivos - Metodologia - Resultados - Discussão dos Resultados/Objectives - Methodology - Results - Discussion of Results/Objetivos - Metodología - Resultados - Discusión de los resultados

Objetivo: Associamos o PRP à imunoterapia com BCG no tratamento do CBNMI quimicamente induzido em ratos e avaliamos a resposta imune mediada pelos TLRs 2 e 4. Materiais e Métodos: O CBNMI foi induzido em ratos Fischer 344 fêmeas por tratamento com N-metil-N-nitrosourea (MNU). Após tratamento com MNU, os animais foram distribuídos em quatro grupos experimentais (n=10/grupo): grupo MNU (câncer), grupo MNU + PRP, Grupo MNU + BCG e grupo MNU + PRP + BCG, além do grupo controle (sem MNU) e controle + PRP. O PRP foi produzido a partir de sangue humano, os quais foram coletados 10ml de sangue total e centrifugado à 100xg, durante 10 minutos. O sobrenadante foi coletado para administração intravesical nos animais dos grupos predeterminados. Após o tratamento, amostras das bexigas urinárias foram submetidas às análises histopatológicas e imunohistoquímicas para os intermediários da via de sinalização dos TLRs (TLR2, TLR4, MyD88, TRIF, IRF-3 e IFN-γ). Resultados: O resultado das análises histopatológicas destes grupos experimentais mostrou 40%, 30% e 70% de inibição tumoral para os grupos MNU+BCG, MNU+PRP e MNU+PRP+BCG respectivamente. O perfil das imunorreatividades das proteínas TLR2, TLR4, MyD88, TRIF, IRF-3 e IFN-γ revelaram ativação do sistema imune inato nos grupos MNU+BCG e MNU+PRP+BCG. O grupo MNU+BCG o fez através da via dependente de MyD88, ao passo que no grupo MNU+PRP+BCG esta ativação ocorreu tanto pela via depende de MyD88 quanto pela via dependente de TRIF. Discussão: A combinação das imunoterapias entre o PRP e BCG aumentaram os níveis proteicos de todos os antígenos estudados, que atingiram máxima imunorreatividade, mostrando uma modulação do sistema imune inato. A produção de citocinas como o IFN exerce ação antitumoral por indução de TRAIL, um potente indutor de morte celular tumoral, sendo que o IFNγ é responsável pela estimulação de vias antiproliferativas e antitumorais em macrófagos e células tumorais.

Considerações Finais/Final considerations/Consideraciones finales

Conclusão: Os resultados obtidos, nas condições estudadas, demonstraram que o PRP xeno, não causou efeito adverso, imunomodulando os animais. Sua associação ao BCG desencadeou melhor resposta de inibição do crescimento tumoral, quando comparada com a terapêutica de BCG e PRP isolados, podendo ser uma importante estratégia terapêutica para o CBNMI.

Palavras-chave/Key words/Palabras clave

PRP, imunomodulação, câncer

Área

Cell Therapy

Autores

ANGELA CRISTIINA MALHEIROS LUZO, Lara Paro Dias, Bruno B. Volpe Bosch Volpe, Marcela Durán, Sofia E. M. Galdames, Luiz A. B. Ferreira, Nelson Durán, Wagner j. Fávaro