Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título/Title/Titulo

Influência do diâmetro nas propriedades morfo-funcionais de esferoides de células-tronco de tecido adiposo humano biofabricados de modo automatizado

Introdução/Introduction/Introdución

O cultivo 3D de células, em especial os esferoides, vem sendo cada vez mais utilizado em aplicações nas áreas de terapia celular e engenharia tecidual, uma vez que a interação das células com a matriz extracelular neste sistema mimetiza de forma mais fiel o microambiente tecidual quando comparado com sistemas de cultivos bidimensionais. Um aspecto a ser considerado é o tamanho destes esferoides e o quanto o seu diâmetro pode influenciar suas propriedades físico-químicas e funcionais.

Objetivos - Metodologia - Resultados - Discussão dos Resultados/Objectives - Methodology - Results - Discussion of Results/Objetivos - Metodología - Resultados - Discusión de los resultados

O presente trabalho tem como objetivo avaliar a influência do diâmetro de esferoides de células-tronco/estromais de tecido adiposo humano (ASC, Adipose-derived Stromal/Stem cells) em suas propriedades morfo-funcionais. Esferoides de ASC foram produzidos após semeadura automatizada (EpMotion 5070, Eppendorf) 1,8x10e5 , 4,3x10e5 e 1,3x10e6 de células em hidrogéis de agarose previamente moldados com 81 microrressecções a partir de um molde de silicone, conforme recomendações do fabricante (Microtissues, Inc.). Os esferoides foram mantidos em estufa úmida a 37ºC e atmosfera com 5% de CO2 , em meio de cultivo composto por DMEM suplementado com albumina 1,25µg/ml, ácido ascórbico 50µg/ml, insulina 10µg/ml, transferrina 10µg/ml, selênio 0,01µg/ml e penincilina 100UI/ml e estreptomicina 100µg/ml. O diâmetro dos 81 esferoides obtidos a partir de cada quantidade de células utilizadas foi obtido a partir de fotomicrografias obtidas sete dias após a semeadura, com auxílio de um microscópio invertido acoplado a uma câmera e do software Axiovision LES4. Após a obtenção das imagens, os esferoides foram coletados, fixados e processados rotineiramente para avaliação histológica por HE (Hematoxilina e Eosina) e por MEV (microscopia eletrônica de varredura). O sobrenadante do cultivo dos esferoides foi coletado e armazenado a -80o.C para avaliação da secreção de IL-6, VEGF e RANTES por citometria de fluxo, através da metodologia CBA (Cytometric Bead Array, BD Biosciences). A partir da semeadura automatizada de 1,8x10e5 , 4,3x10e5 e 1,3x10e6 células para formar 81 esferoides cada, foram obtidos esferoides com diâmetros de 196,5µm ± 34,3; 343,8 ± 53,1 ; 418,9µm ± 16,2, respectivamente. A avaliação histológica mostrou que os esferoides não apresentaram regiões com morfologia típica de morte celular. Já a avaliação por MEV revelou um micro tecido com material extracelular fibrilar semelhante a componentes de matriz extracelular. A quantidade de IL-6 e VEGF produzida por célula foi maior nos esferoides de maior tamanho: 3,43x10e-5 , 14,99x10e-5 e 24,37x10e-5 pg/mL/célula de VEGF nos esferoides pequeno, médio e grande, respectivamente, e 0, 5,21x10-5 e 9,46x10-5 pg/mL/célula de IL-6 nos esferoides pequeno, médio e grande, respectivamente.

Considerações Finais/Final considerations/Consideraciones finales

Portanto, o tamanho dos esferoides influencia a capacidade das células de sintetizarem as moléculas avaliadas. Sabendo-se que o tamanho dos esferoides tem influência sobre sua funcionalidade, este deve ser um parâmetro a ser considerado em aplicações terapêuticas e biotecnológicas. Avaliações mecânicas e da viabilidade dos esferoides de diferentes tamanhos estão em curso.

Palavras-chave/Key words/Palabras clave

esferoides, automatização,células-tronco estromais, diâmetro, biofabricação

Área

Mesenchymal stem cells/adultas

Autores

THAIS BARRETO DE MIRANDA, Mayane Ribeiro de Faria Henrique, Letícia Emiliano Charelli, Guilherme de Almeida Santos de Castro e Miranda, Anderson Beatrici, José Mauro Granjeiro, Karina Ribeiro Silva, Leandra Santos Baptista