Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título/Title/Titulo

Caracterização de enxertos de válvula cardíaca porcina obtidos por dois processos de descelularização

Introdução/Introduction/Introdución

Válvulas cardíacas são estruturas responsáveis por manter o fluxo sanguíneo unidirecional no interior do coração, alterações no seu funcionamento podem ocorrer devido a doenças ou infecções prévias, de modo que, em casos graves, poderá ser necessária a substituição da válvula nativa por uma prótese. Nesse tipo de cirurgia, diferentes modelos biológicos podem ser utilizados, entretanto, tais modelos podem induzir respostas imunes decorrentes da sua viabilidade celular. Nesse sentido, a descelularização, procedimento para eliminação das células alogênicas do tecido, vem sendo testado como alternativa para melhorar a biocompatibilidade das biopróteses. Além disso, recentes descobertas indicam que as vesículas extracelulares (VEs), partículas delimitadas por uma bicamada lipídica, tais como, exossomos e microvesículas, podem ter um importante papel no transplante de órgãos. Estudos anteriores em modelos animais já reportaram a participação dessas estruturas no transplante renal, de medula óssea e cardíaco.

Objetivos - Metodologia - Resultados - Discussão dos Resultados/Objectives - Methodology - Results - Discussion of Results/Objetivos - Metodología - Resultados - Discusión de los resultados

O objetivo do presente trabalho foi avaliar a eficiência de dois processos de descelularização de válvulas cardíacas porcinas e avaliar in vitro a biocompatibilidade desses enxertos. Inicialmente, válvulas cardíacas pulmonares porcinas obtidas de abatedouro credenciado, foram descelularizadas com solução de SDS 0,1% (Grupo 1) ou solução de SDS 0,1% seguida de incubação com tampão hipertônico (10 Mm Tris-HCl e 2,5 M NaCl) e 20 UI/ml de Benzonase (Grupo 2). Posteriormente, os tecidos obtidos foram submetidos a protocolos de confirmação da remoção do conteúdo celular através da marcação com DAPI e extração de DNA, além da caracterização da composição e aspecto da matriz extracelular (MEC) e ensaio de citotoxicidade. Para a verificação da biocompatibilidade desses enxertos, as cúspides obtidas dos dois grupos foram cocultivadas com células-tronco mesenquimais e células endoteliais (HUVEC). Nossos resultados mostraram ausência de núcleos nas cúspides e conduto das válvulas de ambos os grupos, porém a quantificação do DNA residual extraído revelou uma diminuição significativa na quantidade desse material somente nas válvulas do grupo 2. Para verificar se os protocolos utilizados causaram prejuízo nos tecidos, foram realizadas marcações para elastina, colágeno e GAG. Enquanto o conteúdo e a disposição desses componentes não foram alterados no grupo 1, uma acentuada redução de marcação para colágeno foi observada no grupo 2. Adicionalmente, os tecidos de ambos os grupos apresentaram-se não citotóxicos. Quanto aos ensaios de biocompatibilidade, as cúspides obtidas dos dois grupos funcionaram como um arcabouço tanto para células-tronco quanto para células endoteliais. Experimentos para avaliar a capacidade das vesículas extracelulares em favorecerem a biocompatibilidade dos enxertos descelularizados ainda estão sendo conduzidos.

Considerações Finais/Final considerations/Consideraciones finales

A descelularização com baixas concentrações de SDS produziu tecidos de matriz extracelular conservada (colágeno, Elastina e GAG), entretanto, a remoção mais eficiente do DNA só foi alcançada por meio da incubação dos tecidos com tampão hipertônico e uma enzima nuclease (Benzonase). Além disso, cúspides de válvulas descelularizadas foram recelularizadas com células humanas com potencial de serem utilizadas para recelularização ex vivo.

Palavras-chave/Key words/Palabras clave

Válvula cardíaca, Descelularização, SDS, Benzonase

Área

Tissue engineering

Autores

AMANDA LEITOLIS, João Gabriel Roderjan Mendonça, Paula Hansen Sus, Francisco Diniz Affonso da Costa, Marco Augusto Stimamiglio, Alejandro Correa Dominguez