Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título/Title/Titulo

APLICAÇÃO DA ENGENHARIA DE TECIDOS NO REPARO DE CARTILAGEM ARTICULAR EM CÃES

Introdução/Introduction/Introdución

A terapia celular e principalmente a engenharia de tecidos têm sido intensamente exploradas nos últimos anos para o reparo da cartilagem articular, com emprego de várias combinações de biomateriais, células e moléculas sinalizadoras. As células-tronco mesenquimais do tecido adiposo (CTTAs) são uma população de células-tronco mesenquimais que recebe especial atenção devido a sua facilidade de coleta, abundância e potencial para regeneração.

Objetivos - Metodologia - Resultados - Discussão dos Resultados/Objectives - Methodology - Results - Discussion of Results/Objetivos - Metodología - Resultados - Discusión de los resultados

Objetivos: Desenvolver uma combinação envolvendo CTTAs e hidrogel para uso em estudo clínico de reparo de cartilagem articular em cães. A displasia coxofemoral canina é caracterizada por instabilidade e luxação ou subluxação de quadris. Estes resultados trarão uma contribuição para esta patologia específica, o estabelecimento de competência na engenharia de tecidos e a possível expansão para outras patologias humanas.
Metodologia: CTTAs foram coletadas de cães sadios, colocadas em cultivo e caracterizadas quanto a morfologia, potencial de proliferação e diferenciação. As células foram combinadas a vários tipos de biomateriais, com avaliação da viabilidade, proliferação e condrogênese das células nestas combinações, sendo definido para o estudo clinico o hidrogel de acido hialurônico (Synvisc, Novartis, SP). No estudo clinico em andamento, quatorze cães com displasia coxofemoral já foram incluídos - 6 receberam CTTAs, 4 CTTAs associadas a Synvisc, e 4 controles com tratamento placebo. Análises clínicas e radiológicas são realizadas aos 30, 60 e 90 dias. O projeto foi aprovado pelo CEUA da ULBRA (nº 2016.82).
Resultados: CTTAs caninas foram isoladas e cultivadas, mostrando morfologia, proliferação e capacidade de diferenciação características deste tipo celular, mantendo sua morfologia e boa proliferação. A capacidade de diferenciação das CTTAs foi confirmada por reação com os corantes específicos para cada linhagem. As células combinadas a Synvisc foram capazes de diferenciar em tecido cartilaginoso, conforme avaliado por reação com Alcian Blue e análise histológica. O estudo clínico com os cães acompanhados até o presente momento mostrou que os cães tratados com terapia intra-articular de CTTAs associadas ao hidrogel Synvisc apresentam melhores resultados e em menor tempo (60 dias), com melhoras significativas em vários parâmetros ao fim do tratamento. Um dos parâmetros observados em que houve significativa melhora foi atrofia muscular, com alguns pacientes zerando a atrofia muscular pela possibilidade de retorno às suas atividades fisicas com diminuição significativa da dor. O grupo tratado só com células apresentou melhora evidente aos 90 dias, e o grupo placebo teve agravamento dos sinais clínicos.
Discussão: com estes resultados evidencia-se que as células mantêm as características de células-tronco mesenquimais do tecido adiposo quando isoladas e cultivas, incluindo a capacidade de condrogênese, na presença ou ausência do biomaterial. Ainda, com a presença do synvisc o efeito regenerador destas células é potencializado, comprovado tanto pelos estudos in vitro como no estudo clínico com os cães.

Considerações Finais/Final considerations/Consideraciones finales

A combinação de CTTAs caninas e o synvisc tem ótimo potencial condrogênico. O menor tempo para observação da melhora nos pacientes do estudo clínico se deve ao Synvisc que incrementa a ação das CTTAs potencializando a sua ação de reparo tecidual e antecipando a melhora do paciente com significativo aumento na qualidade de vida. Este estudo está em andamento.

Palavras-chave/Key words/Palabras clave

biomaterial; synvisc; mesenquimal; displasia; condrogênese

Área

Tissue engineering

Autores

GABRIELA CABANAS TOBIN, NANCE BEYER NARDI, MARIA INÊS WITZ, KARINE GEHLEN BAJA, MAIELE DORNELLES SILVEIRA